2013 Indie Resenhas Rock

Palma Violets – 180 (2013)

Nem a crítica elogiosa nem a crítica crítica estavam com a razão: o álbum é bom por outros motivos

por brunochair

“Ouça Palma Violets, tem sido a surpresa do ano!”. Essa foi uma recomendação que recebi de alguém em comentário de status de Facebook. Não sabia de onde eram, o que tocavam, o que pretendiam. Curioso, fui atrás da indicação. Baixei o álbum, comecei a ouvir “Best of Friends”, e achei que não ia rolar. A música não soava legal ao ouvido na primeira audição. Bom, ok, tentei.

Um dia, perdido pelas ruas de Bauru (sim, isso é possível) esqueci o álbum do Palma Violets no MP3 e, enquanto procurava tal endereço, percebi que a música estava agradando aos ouvidos. Virei rapidamente para ver a banda e a música que estava tocando, e me deparei com “All The Garden Birds”, do Palma Violets. Desde então, tornou-se um dos álbuns preferidos e mais tocados na minha playlist.

Palma Violets é uma banda nova, formada em torno de uma fogueira de um festival em 2011. Os membros, colegas de escola, queriam algo mais visceral, consideravam as bandas atuais sem pegada, sem aquele feeling. Então, Alexander “Chilli” Jesson (baixo e vocais), Samuel Fryer (guitarra e vocais), Peter Mayhew (teclado) e William Doyle (bateria) começaram a se ver todos os dias de 2012 para ensaiar e compôr, escrever.

Neste mesmo ano, começaram a apresentar-se em algumas festas de amigos, familiares. Aos poucos, foram ganhando espaço e fizeram shows também para públicos diversos, em Londres. Um deles foi realizado no estúdio 180, um centro cultural onde bandas novas costumam se apresentar. A banda chamava a atenção pelas apresentações ruidosas, pela contagiante energia de Alexander “Chilli” Jesson.

Essa empolgação toda chamou a atenção de algumas gravadoras, que fizeram convites à banda. O Palma Violets acabou por aceitar o convite da Rough Trade Records, respeitada gravadora onde já haviam passado Libertines e Strokes. E em 2012 mesmo iniciaram as gravações de 180, homenagem ao estúdio onde fizeram alguns dos seus shows quando ainda anônimos.

O primeiro single lançado foi “Best of Friends”, ainda em 2012. Ganhou enorme repercussão, e ganhou prêmio como melhor música de 2012, segundo o site NME. Lançaram ainda outro single, “Step Up For The Cool Cats”, antes de lançar o primeiro álbum de inéditas, em fevereiro de 2013.

O álbum conta com onze músicas, aproximadamente quarenta minutos de duração. A banda recebeu elogios e severas críticas. Os elogios diziam tratar-se da salvação do rock. As críticas diziam tratar-se de mais uma banda-de-modinha-criada-pela-crítica-para-ser-a-salvação-do-rock-que-diz-morrer-mas-nunca-morre. A banda também foi taxada de pastiche, aquela pegada poser de moços beberrões e pouco comportados e que, por isso, fazem rock.

Parece que as opiniões, tanto de quem elogiou quanto de quem criticou, foram baseadas em uma audição rasa, sobretudo em relação aos dois primeiros singles criados. Palma Violets mostrou muito além das duas primeiras músicas, que fizeram sucesso. Pode-se dizer que “Best of Friends” é uma música que lembra o Libertines, mas também lembra o punk inglês de Sex Pistols. Aquele som cru, sujo, de garagem. “Step Up For The Cool Cats” já é uma música mais complexa em relação a primeira, teclado psicodélico bem ao modo The Doors.

Aliás, Jim Morrison é uma influência para o vocal de Alexander “Chilli” Jesson. Na terceira música, “All The Garden Birds”, fica evidente a referência. Aliás, uma das melhores músicas do 180. Somam-se a ela, como músicas muito boas, “Last of The Summer Wine”, “We Found Love”, “Three Stars” e “14”. Fica essa a impressão, que os próprios críticos e entusiastas da banda não ouviram muito bem o álbum, não puderam conhecer o trabalho da banda com maior profundidade.

Sim, 180 é um trabalho interessante, que aponta referências legais e soa inovador, se bem analisado. Resta saber se a banda passará pelo ritual do segundo álbum, e para onde irá apoiar-se.

Agora, uma curiosidade que a minha cabeça produziu, escutando esse álbum: encontrei uma ligação entre “14” e “Por você”, do Barão Vermelho. Uma daquelas coincidências que o mundo nos revela…

“14”, do Palma Violets, após os 4:50 http://grooveshark.com/#!/s/14/56AvB0?src=5

Anúncios

3 comentários em “Palma Violets – 180 (2013)

  1. Pingback: Palma Violets – Danger In The Club (2015) | Escuta Essa!

  2. Pingback: Night Beds – Ivywild (2015) | Escuta Essa!

  3. Pingback: Car Seat Headrest – Teens of Denial (2016) | Escuta Essa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: