2014 Eletronica Pop Resenhas

David Guetta – Listen (2014)

davidguetta1

Produtor francês coloca guitarras, pianos, violões e orquestrações nas músicas, mas tudo descamba para o bate-estaca das pistas

Por Lucas Scaliza

O renomado (e quase arroz de festa) David Guetta está lançando seu sexto disco de estúdio, Listen, que não difere muito dos outros trabalhos do DJ e produtor francês. Com uma mão excelente para as pistas de dança e para o gosto geral da moçada, Guetta reúne em torno de si um time de peso de cantores e outros DJs e produtores. O resultado é um disco cheio de faixas com capacidade de virarem single e venderem muito no iTunes, catapultando não somente o nome de Guetta, mas de todos aqueles que participam de seu novo álbum.

É preciso dizer que David Guetta faz música eletrônica para um público preocupado com festa, com dança, com azaração, com agito e com ritmos pulsantes. Dentro deste segmento que é tão rico em experiências, ele é absurdamente mainstream e inova pouco quanto a forma e conteúdo de sua música, corre o mínimo possível de risco. Se você gosta de uma música eletrônica mais cerebral, recomendo Röyksopp, deadmau5, Flying Lotus e o projeto solo de Thom Yorke.

david-guetta-2014

Dentro de sua linha de pensamento e de comércio, Guetta faz tudo muito bem e, se a música não é lá algo sofisticado, alguns de seus convidados dão um ar extremamente nobre ao resultado final. É o caso de John Legend,, que canta a faixa-título, “Listen”. Mesmo que a música seja mais do mesmo, o estilo vocal de Legend sobressai e deixa tudo muito melhor. A cantora Sia, que lançou 1000 Forms of Fear este ano, também salva a pátria em “Bang my head” com seu competente vocal. E “The whisper”, que fecha Listen, é uma balada triste em que Sia não só demonstra mais uma vez a força de sua voz, como é também a única oportunidade em que Guetta se arrisca e cria uma canção que não almeja ser tocada em baladas.

A melhor faixa é “Yesterday”, com uma interpretação vocal intensa de Bebe Rexha. Aqui Guetta e seu time de compositores misturam violão, orquestração e passagens carregadas de puts-puts com notas rápidas criando aqueles insistentes temas melódicos descartáveis que preenchem as músicas eletrônicas mais palatáveis. É uma fórmula que Guetta usa ao longo de todo o disco e não deixa de soar um pouco brega em alguns momentos, como em “Dangerous”, com vocal de Sam Martin. Felizmente o cantor pode se redimir algumas faixas depois com a boa “Lover on the sun”.

Em “Hey Mama” Guetta pega leve para deixar a música fluir como um eletrofunk. Para a faixa foram convidados Nick Minaj e Afrojack – ou seja, a faixa é um espelho dos dois, sem novidade nem para o francês e nem para os convidados. Já “Sun goes down”, com MAGIC! e Sonny Wilson são feitas sob medida para as baladas de Ibiza ou alguma outra cidade praiana europeia.

“S.T.O.P.” (com Ryan Tedder), “Lift me up” (Nico & Vinz, Ladysmith Black Mambazo) e “Goodbye friend” (com The Script) são também boas faixas, cada uma com potencial para tocar a exaustão. O problema é que, ouvidas todas juntas com atenção, seguem um único esquema: introdução com instrumentos orgânicos (pode ser uma guitarra, um violão ou piano) e chegando ao ápice com efeitos sonoros puramente eletrônicos (e nenhum é novidade) e ritmo mais acelerado, geralmente deturpando a atmosfera inicialmente proposta. Com exceção de “The whisper”, a bonita “I’ll keep loving you” (Birdy e Jaymes Young) é a única que foge da regra (mas acaba ganhando contornos de puts-puts também, mas nada que estrague seu clima).

David Guetta continua criando músicas que são bons hits, mas falta empreender em criatividade. Nesse sentido, observando duplas criadoras como Justice, Daft Punk e Air – todos da França – observamos que há uma habilidade louvável em conseguir aliar o pop ao experimental. Mas Guetta toma o caminho mais fácil e comercial 90% das vezes. Talvez ele seja o ponto de equilíbrio em que até o que seria a sua experimentação (orquestrações e puts-puts Ibiza) soa cafona. E não deve envelhecer bem.

Obs. Importante lembrar que a crítica refere-se ao álbum Listen e não às capacidades que David Guetta demonstra ao vivo como DJ.

David-david-guetta-32368134-1280-800

Anúncios

8 comentários em “David Guetta – Listen (2014)

  1. Pingback: Chet Faker – Built On Glass (2014) | Escuta Essa!

  2. Pingback: Dan Deacon – Gliss Riffer (2015) | Escuta Essa!

  3. Pingback: Big Sean – Dark Sky Paradise (2015) | Escuta Essa!

  4. Pingback: The Prodigy – The Day Is My Enemy (2015) | Escuta Essa!

  5. Pingback: The Chemical Brothers – Born In The Echoes (2015) | Escuta Essa!

  6. Pingback: Disturbed – Immortalized (2015) | Escuta Essa!

  7. Pingback: Avicii – Stories (2015) | Escuta Essa!

  8. Pingback: Steven Wilson – To The Bone (2017) | Escuta Essa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: