2015 MPB Nacional Rock

Siba – De Baile Solto (2015)

15131300

Se depender do Siba, o baile não vai parar!

por brunochair

Não tem baile se não tiver povo. Não tem baile se não tiver músicos. Não tem baile se não tiver dança. Mas se o povo aparecer, se a banda tocar, se os pés e os corpos dançarem, aí tem baile, sim! E não tem polícia, não tem força de “senhores da lei” que impeçam o baile de acontecer.

O baile é de todos. O baile é cultura popular, genuíno como o chão e a terra, e precisa ser cultivado – como manifestação da força do próprio povo. E, nesse disco, Siba propõe o baile solto, o retorno às suas origens, à cultura popular que o fez artista universal.

O maracatu de baque solto, enquanto forma de expressão dessa cultura popular, começou a sofrer algumas “restrições” por ordem da Polícia Militar quanto ao horário das festas de rua na cidade de Nazaré da Mata, na Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco. Mas o baile genuíno, o baile solto, não tem hora nem pra começar, tampouco para terminar!

“Marcha Macia”, primeira música do álbum De Baile Solto, narra parte dessa situação. E, partindo deste fato, Siba faz crítica à sociedade de consumo, às burocracias, ao modus vivendi do homem contemporâneo. Uma vida repleta de especificações, multidões e maquinaria.

“Quem e Ninguém” é outra música do disco que propõe uma reflexão sobre o pretenso poder que o dinheiro tem sobre nossas vidas. E, nessa costura de críticas a essa sociedade e a visão de mundo acanhada dos indivíduos, é que Siba acabou por voltar às origens, trabalhar um disco com forte gênero regionalista, mais próximo dos seus.

20150513115554942361e

Siba é um artista universal. A experiência de tocar guitarra e rabeca no Mestre Ambrósio, banda que obteve expressão nacional e mundial e uma das promotoras do movimento manguebit, foi preponderante para a sua formação enquanto músico e indivíduo. Quando juntou-se com o Fuloresta, o viés mais regionalista (maracatu de baque solto, ciranda) voltou a falar mais forte. Em 2012, quando Siba lançou Avante, disco muito elogiado pela crítica e com forte teor confessional, o músico propôs uma incursão por um universo diferente: o protagonismo da sua guitarra elétrica, suas aflições e contentamentos.

Em De Baile Solto, observamos esse retorno às origens, com Siba valorizando os regionalismos: a ciranda, o maracatu, as festas de rua, os bailes. Todos estes elementos reelaborados por um artista que “esteve andando por aí, mas que nunca esqueceu daqui”. É interessante observar os elementos cosmopolitas e regionais na obra de Siba, como se o músico estivesse transitando sempre por duas esferas.

De Baile Solto possui, além de crítica social e valorização da cultura popular (“Mel Tamarindo”, “A Jarra e a Aranha”), uma reverência lírica bela e inquietante ao Gavião da Mata (“Gavião”), e também uma música com um tom mais memorial (“Três Carmelitas”), que possui recordações de infância que tanto podem ser pessoais quanto podem ser compartilhadas por aqueles que viveram na mesma esfera.

SIBA-por_José-de-Holanda-8404

Siba, artista de dimensão internacional, parece representar bem o seu “mundo” onde por aí estiver. O universal parece ser pequeno diante de tanta poesia, tanto lirismo, tantas possibilidades. O mundo, que não deixa de girar, de criar e de girar, de criar e de girar, agora dá espaço ao maracatu e ao baile. E o baile, como todos sabem,

não pode parar.

Download do disco

 

Anúncios

0 comentário em “Siba – De Baile Solto (2015)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: