2016 Pop r&b Resenhas

Nick Jonas – Last Year Was Complicated (2016)

Exalando maturidade, cantor faz R&B seco, seguro e simples

Por Gabriel Sacramento

O ex-Jonas Brothers Nick Jonas é o mais ousado e inquieto dos irmãos. Nos últimos anos lançou dois ótimos discos. Um deles foi com um projeto paralelo chamado Nick Jonas And The Admnistration, no qual o cantor explora uma veia blues rock, uma faceta até então desconhecida. Além disso, depois do fim do grupo dos irmãos, em 2014 Nick lançou o seu primeiro álbum como artista solo. Foi o primeiro passo para longe da imagem de astro teen construída ao longo dos anos. O disco é bem mais maduro e apresenta um artista mais seguro trilhando seu próprio caminho, fazendo um R&B que lembra algo como o Justin Timberlake no álbum Justified (2002).

Em seu novo lançamento – Last Year Was Complicated (aqui chamarei de LYWC) – Jonas tem a missão de continuar mostrando do que é capaz de fazer sozinho. Lançado pela própria gravadora, a Safehouse Records, o disco também traz participações de famosos como Tove Lo, Ty Dolla $ign e Big Sean.

Nick_Jonas_Credit_Hollywood_Reporter_2016
Foto: Hollywood Reporter / Reprodução

O título do disco já dá uma ideia do que Nick vai tentar explorar no conteúdo lírico das canções. Realmente, ele fala sobre os problemas que viveu em 2015, como o fim do namoro com a modelo Olivia Culpo. Sua nova visão de mundo, dessa vez solteiro, também está impressa nas letras.

Com a sueca Tove Lo, ele canta “Close”, com uma base climática e minimalista, explorando muito bem o contraste dos vocais. As bases minimalistas e precisas são destaques também em “Vodoo”, que tem um ritmo mais forte e ótimos overdubs de vozes. A quase balada “Unhinged” traz destaque para a voz do cantor, que explora seu timbre de forma bem adequada. “Chainsaw” tem uma melodia envolvente, algo que poderia estar até no Blue Neighbourhood (2015) de Troye Sivan. A semelhança é grande, até mesmo na base etérea, ambiente e próxima ao dream pop.

“Good Girls”, que Nick divide com o rapper Big Sean, poderia estar no Royalty do Chris Brown. Destaco a batida simples e harmonia tímida, bem sutil. Quando o rapper começa, por exemplo, o arranjo consiste unicamente em uma batida modesta ao fundo. “Touch” aproxima Nick de Justin Timberlake, com destaque para as harmonias vocais. “Under You” e “Champagne Problems” possuem ótimos arranjos de sintetizadores. A segunda ainda mais rítmica que a primeira e mais dançante.

LYWC é um grande álbum. Demonstra a progressão natural do trabalho que Nick começou em 2014, com seu R&B empolgante e diferente do que ele fazia no Jonas Brothers. O novo álbum não possui grandes hits como “Jealous” ou “Chains”, mas possui consistência e confere segurança ao artista para falar que ele não é mais aquele garotinho do grupo de irmãos. Aqui ele abraça seu talento e suas possibilidades criativas, fazendo o que quer e o que gosta, obtendo resultados interessantes.

Os arranjos são bem precisos e bem colocados. Nick sabe exatamente onde inserir seus vocais dobrados, harmonias, onde dar destaque à sua voz ou como reforçar o ritmo. Isso, claro, com a ajuda da produção que envolve muitos nomes como Jason Evigan, Max Martin e o próprio Nick Jonas. Destaco também o minimalismo dos arranjos, que ressaltam a sensibilidade na hora de escolher o que comporá cada parte das músicas. O pop do cantor não é encharcado de melodias grudentas, harmonias exageradas e nem mesmo repetitivo, mas é impressivo, por ser seco, modesto e simples, ao mesmo tempo em que é envolvente e melodioso.

Depois do ótimo álbum de estreia, com seus hits que surpreenderam os ouvintes, Nick entrega algo que reafirma sua intenção de se manter firme e estabilizado em sua carreira. Afinal, é o que ele tem para fazer após o fim do Jonas Brothers. E nem precisa de grandes hits, afinal já sabemos do que ele é capaz e aqui percebemos, mais uma vez e de uma forma bem enfática, sua independência e habilidade para fazer a própria música. Isso define quem ele realmente é.

O jovem ainda tem muito o que fazer e, assim como Justin Timberlake no início, parece ter um futuro promissor pela frente. Agora é esperar para ver e ouvir. Enquanto isso, temos material para curtir e admirar com esses dois álbuns lançados até agora.

nick_jonas_2016

1 comentário em “Nick Jonas – Last Year Was Complicated (2016)

  1. Pingback: Keith Urban – Ripcord (2016) | Escuta Essa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: