Band Of Horses – Why Are You OK (2016)

Não é uma obra de arte, mas é um ótimo entretenimento

Por Lucas Scaliza

Depois de ouvir algumas vezes Why Your Are OK, novo disco do Band Of Horses, voltei a ouvir o disco de 2012, Mirage Rock. Se na época já pareceu um disco morno, interessante em partes mas não no todo, ficou parecendo ainda mais incompleto e até anêmico. Fica claro que o indie rock que a banda pretendia fazer funciona melhor quando tentam ser indies de verdade. Why Are You OK é um disco com coração, como era também o ótimo Infinite Arms (2010). Portanto, espere um ótimo novo trabalho da banda, com a mesma busca por profundidade emocional, mas com uma dose roqueira e country maior desta vez.

Ouvi o disco pela primeira vez no início de uma madrugada de sábado. Assim que a voz aveludada de Ben Bridwell começou a acompanhar os acordes de “Dull Times/The Moon” me entreguei às vibrações do som, muito parecidas com o David Gilmour de On An Island (2006), aliás, em que o ritmo lento das guitarras lembra as ondas do mar quebrando sobre seu corpo e fazendo-o balançar com a gravidade alterada da água. (E aqui vai um cumprimento para @o_eder que teve a mesma sensação que eu).

band_of_horses_2016_2

Apesar de ser uma banda formada em Seattle, o sul dos Estados Unidos está presente a todo momento, seja na dicção do cantor e líder da banda ou na forma como o country encontra um meio de emergir ao longo do disco. E um disco que já começa com uma preciosidade como “Dull Times/The Moon” faz o ouvinte querer continuar neste estado de deleite por mais tempo. (E o pedido é atendido, pois a faixa de abertura tem o dobro de tempo de duração do que uma faixa normal gravada pela banda).

As 11 faixas seguintes vão alternando entre doses maiores de indie rock e canções que buscam aquela profundidade sonora feita para tocar o ouvinte. Guitarras mais encorpadas em “Solemn Oath”, o ritmo Belle And Sebastian de “Casual Party” e a divertida e oitentista “In a Drawer” mostram a banda fazendo um som de fácil assimilação, mas sem soar comercial demais.

“Hag”, simples e tão emocionalmente comovente como a faixa de abertura do álbum, não é uma composição perfeita, mas Bridwell acertou em cheio ao apostar em dedilhados esparsos e atmosfera. O tema instrumental é, de longe, um dos momentos mais marcantes de Why Are You OK. Fica claro que a produção de Jason Lytle (do Grandaddy) fez diferença. Ele não mudou o rumo da banda, mas com certeza deu mais perspectiva ao lado criativo do álbum, fazendo-o soar ora simples e bonito, ora simples e ousado, um equilíbrio que faltava em Mirage Rock.

As soundscapes de Lytle permeiam tudo. Desde uma balada lenta e gostosinha como “Lying Under Oak” até uma valsinha inocente e sulista como “Whatever, Wherever”. “Even Stills”, uma faixa composta em grande parte por camadas sonoras criadas por teclados, coroa essa parceria entre produtor e banda. Mesmo as canções country do álbum (“Throw My Mess” e “Country Teen”) apresentam detalhes de produção que atestam a um só tempo que trata-se de uma banda indie e de um produtor mais viajado no comando. Repare como o solo de “Country Girl” tem laivos de psicodelia e nos efeitos de guitarra de “Throw My Mess”, assim como uma peculiar virada de bateria aos 2’03”).

Muito menos deslumbrado com o mundo dos festivais do que o álbum anterior, Why Are You OK é um disco que deverá durar na discografia da banda tanto quanto Infinite Arms. Faixas como “Dull Times” e “Hag” conseguem realmente fisgar o ouvinte e deixá-lo dentro de uma bolha de sentimentos, mas não é esse o intuito do álbum quando pensado no total de suas 12 músicas. Ainda é um entretenimento, o indie rock em sua forma menos engajada, e só em alguns momentos consegue emergir com um sentimento mais palpável traduzido em música. É por isso que, embora um bom álbum, ainda não é uma obra de arte completa.

band_of_horses_2016

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s