2016 Especial punk Resenhas Rock

Ramones – Ramones (1976) faz 40 anos

29 minutos de música agressiva, corrosiva e punk

Por Gabriel Sacramento

O que é?

Com o advento do punk, a música passou a ser mais simples, mais despreocupada. Sem tanta ênfase na técnica, mas no poder revolucionário que alguns acordes poderiam transmitir. O punk deu voz a críticas, manifestações e rebeliões. Sem se concentrarem no “saber tocar”, mas no “saber passar uma mensagem”, o estilo mudou o mundo. E começou com este álbum. Ramones, lançado em 23 de abril de 1976, é o primeiro álbum da banda de mesmo nome.

Ramones_Toronto_1976

Histórias e curiosidades

O grupo que reunia quatro garotos pobres do Queens em Nova York surgiu em 1974. Depois de algumas apresentações, eles conseguiram chamar a atenção da gravadora Sire Records, que decidiu pagar para gravar o primeiro disco já em 76. Na primeira gravação, foram usadas técnicas impressivas, como as usadas pelos Beatles: overdubbing (para adicionar sons extras à uma gravação), divisão dos instrumentos em canais separados e duplicação de vocais. Outra curiosidade interessante: o disco foi gravado em apenas sete dias e com pouco dinheiro. Cerca de 6.400 dólares apenas (só para se ter uma ideia, um disco de uma grande banda hoje custa milhões, mas é sempre bom lembrar que Bleach, a estreia do Nirvana, custou somente 600 dólares).

Mesmo com algumas técnicas sofisticadas, o disco é cru e sem acabamento. Esse era o objetivo dos caras que se uniram ao produtor Craig Leon, para gravar agressividade e atitude em apenas 29 minutos de som. O disco possui 14 faixas, sete no lado A, sete no lado B. Traz letras simples que tratam de diversos temas e uma instrumentação simples, curta e direta, focado na velocidade e crueza dos arranjos. A música mais longa tem 2 minutos e 33 segundos. Somente baixo, guitarra e bateria acompanhando os vocais. As melodias são cativantes, mas não tão bem elaboradas. Johnny Ramone não era um excelente cantor, mas criou uma forma de colocar sua voz que se tornou referência e influenciou muita gente. Coros também eram comuns.

As letras incluem temas polêmicos como nazismo, uso de drogas, prostituição e violência. Eles costumavam tentar escrever sobre jovens e as experiências da juventude sob uma ótica diferente. As letras são simples, toscas e fáceis de cantar. “Blitzkrieg Bop” tem uma letra relacionada ao nazismo, embora não seja claro o seu significado. Blitzkrieg é uma tática usada pelo exército alemão na Segunda Guerra. “Beat on the Brat” é sobre uma mãe que corre atrás de um garoto desobediente com um bastão. “Now I Wanna Sniff Some Glue” é sobre um adolescente querendo cheirar cola. “53rd & 3rd” é sobre prostituição, refere-se a um lugar em Nova York no qual homens costumavam se prostituir.

A capa é única: quatro jovens com calças rasgadas, camisas apertadas e jaquetas de couro. O visual, um dos conceitos fortes do punk, está bem representado no disco.

Ramones recebeu críticas que prejudicaram suas vendas no início. Mas depois, com o aumento do sucesso do grupo, o disco passou a ser mais procurado e reconhecido.

Passa no teste do tempo?

O primeiro disco do Ramones representou um grande passo para a popularização do punk, que influenciou o restante do rock – e o pop – em muitos aspectos. Estilos como o heavy metal, grunge e o post punk estão associados com a música que os nova-iorquinos faziam. Ao trazer músicas de 1 e 2 minutos de duração, eles ensinaram que era possível fazer música sem ser prolixo, com simplicidade e direto ao ponto. Isso abriu as portas para muita gente que se sentiu capaz de fazer música sem precisar ser muito técnico ou virtuoso. A ideia é escolher alguns acordes, cantar do jeito que dá, mesmo que tosco. Com as letras diferentes, que tratavam de temas marginalizados, eles se contrapuseram à ideia de letras superelaboradas, cheias de referências literárias e/ou canções de cunho romântico – embora tenhamos “I Wanna Be Your Boyfriend”, que é uma música essencialmente romântica, mas no geral eles não eram românticos e fugiam do excesso de sacarose que imperava na música pop da época.

Com canções cativantes, embora cruas, que soaram inovadoras para os padrões da época, esse disco do Ramones é considerado por muitos como um marco para o punk rock. Outras bandas como Sex Pistols e The Clash já declararam abertamente a importância e influência que Ramones teve em suas formações musicais. Embora muitos argumentem que a agressividade e a atitude punk dos garotos era comedida (principalmente se comparada a dos ingleses supracitados), não dá para negar que o que eles fizeram foi de extrema importância para o desenvolvimento do estilo.

Diversas bandas pelo mundo já fizeram tributos ao Ramones: Rob Zombie, Red Hot Chili Peppers, Metallica e Sonic Youth, por exemplo. Isso mostra a larga influência que os garotos exerceram em muita gente dentro do universo roqueiro. No Brasil, a influência do punk foi altamente notável com bandas muito importantes que se tornaram vozes da sociedade para vociferar contra os problemas do país. Bandas como Garotos Podres, Ultraje a Rigor e Aborto Elétrico.

Infelizmente, nenhum dos Ramones que gravaram este disco está vivo hoje. Mas o legado deles é incomparável. Toda uma cultura ocidental foi moldada pela música dos caras. O tempo provou que o grupo foi sim, um dos mais importantes da história da música, pois sua música permanece surpreendentemente corrosiva e agressiva depois de tantos anos.

ramones1976

2 comentários em “Ramones – Ramones (1976) faz 40 anos

  1. Pingback: Ramones – Ramones (1976) faz 40 anos — Escuta Essa! – ANJOS

  2. Pingback: Nouvelle Vague – I Could Be Happy (2016) | Escuta Essa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: