Yasmine Hamdan – Al Jamilat (2017)

O eletropop de Yasmine Hamdan é um casamento perfeito entre tradição árabe e produção ocidental

Por Lucas Scaliza

Al Jamilat é simplesmente um dos discos mais interessantes e mais palatáveis que ouvi até agora em 2017. Dentre uma longa seleção semanal de novidades a que me submeto para saber o que vale a pena resenhar e o que vale a pena entrar na pauta de nosso podcast, o nome Yasmine Hamdan surgiu como um sopro de vida e cultura nova. Sua música mistura textura eletrônica, pegada pop e a inclusão da música árabe com extremo bom gosto e habilidade. Além disso, ela canta todas as faixas em árabe, o que dá um gosto ainda mais especial ao trabalho.

A libanesa Yasmine Hamdan não é uma novata na música. Embora Al Jamilat seja seu segundo disco solo, já gravou três trabalhos como o duo Soapkills, um dos grupos de música eletrônica pioneiros do Oriente Médio. Desde que chegou à França (ela é casada com o cineasta palestino Elia Suleiman), sua rede de contatos aumentou consideravelmente e junto de Marc Collin, um dos cabeças do Nouvelle Vague, encontrou a forma perfeita de misturar música eletrônica, arábica e folk. No Oriente Médio, Yasmine é considerada uma rainha do underground. Chama a atenção que seja do underground, porque embora sua música seja um encontro das tradicionais escalas e melodias arábicas com o trip hop moderno, sua música não é de difícil assimilação.

yasmine_hamdan_by_nadim_asfar_12_hires

É fato que suas faixas estão bastante adequadas para um público ocidental, seja em termos de produção ou de estrutura. E é justamente isso que torna Al Jamilat um produto tão interessante e digno de ser ouvido por qualquer um que goste de rodar a música mundial. Em momento algum você sente que algum elemento arábico ou tradicional do Oriente Médio está ali apenas como uma desculpa ou fazendo figuração; assim como nenhum maneirismo mais ocidental parece gratuito, como simples estratégia comercial. Yasmine Hamdan quer soar pop e moderna e, assim, traz a música de seu berço para uma nova forma de expressão. “Cafe”, uma música maravilhosa, é um exemplo disso. Assim como os cafés são pontos de encontro, esta faixa mistura ruídos, vocais processados e temas orientais com uma espertíssima produção musical. E “La Chay” revela como o ritmo libanês casa com um jeitinho de folk rock todo particular da cantora.

O dedilhado de violão ou a produção em “Douss”, que cai bem aos ouvidos de qualquer ouvinte, não contraste em momento algum com a melodia em árabe ou com os trejeitos orientais de vocalizar. “La Ba’den” e “Choubi” têm produções dignas de qualquer outra artista contemporânea da música eletrônica ou indie e “Assi” soa como uma trilha sonora, entregando-se a regularidade do ritmo eletropop apenas em seu terço final. E se há uma faixa mais meditativa como “K2”, há também uma faixa moderna e dançante como “Al Jamilat”.

Al Jamilat é melhor e mais maduro que Ya Nass (2012-2013), mas parte das conquista do antecessor. Os produtores ingleses Luke Smith e Leo Abrahams entenderam como ela construiu seu pop a partir do folk e da música eletrônica com o francês Collin e aperfeiçoaram a forma. A voz de Yasmine continua deslumbrante e os sons são ainda mais tridimensionais, sem pecar pelo exagero ou soar ansioso.

Há muito para se ouvir e se explorar no álbum. Em tempos de “Galway Girl”, em que um inglês com ascendência irlandesa usa a música tradicional da ilha apenas como recurso étnico barato no meio de uma explosão pop, ver Yasmine Hamdan trazer suas raízes com tanta sensibilidade para a música pop é reconfortante. Um disco que ajuda a revelar uma artista e passa longe do orientalismo para inglês ver.

Yasmine_Hamdan_by_FlavienPrioreau_lores

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s