2017 r&b Rap/Hip-Hop Resenhas

Stormzy – Gang Signs & Prayer (2017)

Por Gabriel Sacramento

Histórias de vida, tretas entre rappers, drogas e louvores ao senhor

Stormzy surgiu como muita gente dentro do circuito da música hip-hop: participando de batalhas de freestyles e com colaborações com outros rappers. O britânico lançou em 2014 um EP chamado Dreamers Disease, e desde então conseguiu atenção dentro da cena grime da Inglaterra. Para quem não sabe, o grime é uma especie de hip-hop que vem do cenário underground inglês misturando Dancehall, música eletrônica e hip-hop americano. Dentro do gênero, muitos artistas têm surgido para fazer frente ao estilo americano e tem conseguido destaque.

Naturalmente, o grime já pressupõe um estilo dinâmico que aborda vários estilos em fusão, buscando sempre uma sonoridade pesada e mais energética. O Drake, por exemplo, obteve um resultado no seu novo que diferiu da mesmice do anterior, em grande parte por tentar experimentar com o estilo. Stormzy em seu novo disco, Gang Signs & Prayer, trabalha bem os ideais do grime, mas vai além disso. E é essa ousadia e disposição para experimentar novos rumos que o faz bem sucedido em sua estreia.

stormzy gang signs and prayer3

Os temas de Gang Signs & Prayer variam bastante. Em “Bad Boys”, por exemplo, o assunto é treta entre dois rappers: O Ghetts, que participa na faixa, e outro rapper chamado Bashy. A faixa traz uma base lenta, profunda, com Stormzy alternando com o rap do Ghetts e os vocais melódicos do J HUS. Tretas também foram a base para criação de “Shut Up” – famoso single do rapper, pela qual ela já havia sido bastante reconhecido antes. É uma resposta bem direta do Stormzy à outro rapper que afirmou ser melhor que ele.

Assim como em “Shut Up”, temos outros versos de auto-afirmação em “Big For Your Boots”, na qual ele fala sobre sua história e ascensão na carreira. A faixa possui uma base bem criativa com batidas frenéticas. Frenético também é o ritmo de “Cold”, segunda música do track-list e uma das melhores, representando totalmente o típico som grime. “Cigarettes & Cush” é uma parceria com a americana Kehlani, que fala sobre a relação do rapper com uma mulher e com a marijuana. A faixa possui um clima mais R&B, principalmente pelas vozes femininas e pelo bom refrão – bem como pela instrumentação orgânica, com piano proeminente.

Mas a grande surpresa que o rapper britânico reserva pra nós em seu debut, é a presença de duas canções gospel. “Blinded By Your Grace” ganhou parte 1 e parte 2, para basicamente, falar de salvação e ajuda divina. A primeira parte apresenta somente o rapper cantando sobre um piano suave. Segundo ele, foi um desafio cantar isso, pois ele sempre achava sua voz ruim, mas acabou superando a falta de autoconfiança. A segunda parte traz o cantor também britânico MNEK, corais, harmonias e versos de rap. Aqui, ele “manda a real” rapeando dentro da temática religiosa. MNEK contribui muito bem com seu timbre – e que tem a ver com gospel, inclusive.

stormzy gang signs and prayer2

Musicalmente, Stormzy explora tanto batidas eletrônicas típicas do grime, quanto instrumentação mais orgânica, utilizando pianos e até mesmo orquestração. Isso é mais um fator interessante acerca do que ele tenta neste disco, indo além dos padrões tanto do hip-hop quanto das produções britânicas. GSAP conversa bem com outros discos de grime e não só isso, tem o poder de ser uma grande introdução para o estilo, assim como é para o Stormzy.

Ou seja, GSAP é uma coletânea de ótimas canções que misturam grime, R&B, hip-hop e gospel. Stormzy vai além do seu esperado, até mesmo pelos seus fãs, apresentando um disco dinâmico, que experimenta com liberdade e que vai fundo na sinceridade do rapper e na transparência no sentido de refletir exatamente o que ele quer, independente de quem irá agradar ou desagradar. O cantor faz o seu papel como rapper, mas também como um músico que não se contenta com o comum.

E o melhor do disco é justamente isso: um cara com tanta propriedade dentro do cenário do grime, respeitado de onde vem, que conta a sua história, afirma quem é, deixa claro as brigas e a concorrência com os colegas, mas também acha espaço para fazer preces religiosas musicais. A coragem e a tranquilidade com que Stormzy faz isso é incrível. Gang Signs & Prayer se tornou o primeiro disco de grime a aparecer no topo dos charts britânicos, o que reafirma o reconhecimento do rapper e, também, a explosão que o estilo está protagonizando.

stormzy gang signs and prayer4

Anúncios

1 comentário em “Stormzy – Gang Signs & Prayer (2017)

  1. Pingback: Linkin Park – One More Light (2017) | Escuta Essa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: