2017 Metal Nacional Resenhas

Saturndust – RLC (2017)

Doom metal brasileiro te leva para um planeta inóspito e oxigena a cena nacional

Por Lucas Scaliza

RLC é heavy metal como quase não se faz mais. É psicodelia cinematográfica. A textura é comparável a de um videogame espacial cheio de exploração e tensão. É um álbum longo que deixa as guitarras reverberam com distorções pesadas e delay, sem ansiosidade para emendar um riff atrás do outro. A voz narra e grita, os riffs são pespegantes e há sintetizador de sobra para nos transportar para outra dimensão, tão misteriosa quanto ameaçadora. “Astral Dominion”, por exemplo, vai fazer você lembrar daquele Black Sabbath lá do início, quando peso podia ser lento, dando tempo para você saborear cada nota antes de ser jogado em uma espiral de porradaria.

Saturndust é uma banda brasileira de doom metal composta por Felipe Dalam (guitarra, sintetizador e vocal), Guilherme Cabral (baixo) e Douglas Oliveira (bateria). A gravação de RLC ocorreu no estúdio Costella, em São Paulo, com o produtor Gabriel Zander. Nas palavras de Dalam, o resultado é uma música que transmite “sinais de vida não terrestre codificados em um drone/doom experimental do desconhecido.” Por tanto, tome cuidado com o que pretende ingerir antes de embarcar nessa nave.

saturndust_2017

E não haverá faixa mais alienígena que “Rlc” em 2017. Nem mesmo o novo filme de ficção científica e horror da série Alien tem uma trilha tão bem ajustada ao tema. O que esse trio faz é misturar o moderno e o antigo de uma forma que realmente incomoda, mas daquele jeito bom, que te deixa curioso.

Chegar ao fim de Rlc também exige paciência, por isso a melhor forma de apreciar o disco é tratá-lo como uma música ambiente que você deixa rolando e se entrega à atmosfera que ele propõe. A viagem é recompensadora, garanto, pois “Saturn 12.C” é belíssima, como é, afinal, toda a devastação causada pelo trio ao longo de seis faixas – das quais cinco vão da marca dos oito aos 12 minutos de duração.

RLC é um disco raro. Acredito que, além da ideia geral que norteou o trabalho, foi preciso muita coragem dos três músicos e habilidade do produtor para se manterem no caminho até o fim, se nunca, em faixa nenhuma, pensarem em fazer algo mais acessível (em termos metaleiros, é claro). O que o Saturndust faz é prova da liberdade criativa da banda, coisa que grupos melhor consolidados e visados do país não arriscariam fazer. Como diria um jovem metaleiro americano: “RLC isn’t your average metal album”.

Provando evolução pessoal e oxigenando o cenário nacional a uma só tacada, a banda também foi recompensada com a escalação para tocar no festiva Psycho Las Vegas este ano, ao lado de bandas como King Diamond, Carcass, Mastodon e Neurosis. É o único grupo brasileiro da longa lista de participantes.

Assim, RLC deve ser presença obrigatória em qualquer lista de melhores do ano focada em rock e metal. Passará vergonha quem não separar um espaço para enaltecer o Saturndust em 2017.

saturndust_2

Anúncios

1 comentário em “Saturndust – RLC (2017)

  1. Pingback: Jupiterian – Terraforming (2017) – Escuta Essa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: