2017 Indie MPB Nacional Resenhas Rock

Maglore – Todas as Bandeiras (2017)

“Todas as Bandeiras” extrapola o senso comum sensorial. Tomado pelos sons do novo álbum do Maglore, o crítico vira cronista e a crônica é a crítica esperando ser decifrada.

Por Eder Albergoni

você só vai saber vivendo

Eu não sou assim o que se pode chamar de gênio, mas criei uma máquina do tempo. Começou depois que assisti De Volta Para o Futuro e pensei que aquilo podia ser verdade. Imitei um capacitor de fluxo no meu celular com algoritmos que circulam a internet e só precisei de uma caixa térmica de isopor pra jogar umas cascas de banana dentro, misturar uns gases e converter em energia. Pluguei o celular no isopor e voilá. Só precisava achar um lugar em que eu pudesse estar a 88 km por hora. Resolvi não correr riscos como fazer isso de carro ou saltando de paraquedas. Então descobri um trecho da ferrovia onde o trem atingia a velocidade necessária e lá eu fui. Ajustei as coordenadas pra dez anos no passado, isopor nas costas, entrei no vagão.

– O senhor tem água gelada?

toda vez a gente vê que a gente morre

Marileide chegou do interior da Bahia há mais de 30 anos. Sempre foi empregada doméstica. No começo dividia uma casa com outras imigrantes nordestinas. Marileide se casou com João, que era o cobrador do ônibus que ela usava pra ir trabalhar. Com o tempo, o casal conseguiu levantar a própria casinha na periferia e tiveram um filho. Na semana que completaria 18 anos, o garoto foi assaltado no caminho para a escola. Lhe tomaram o celular e o espancaram por causa da aparência. João sofreu um ataque cardíaco quando foi informado. Morreu depois de agonizar meses na UTI. Marileide voltou pra Bahia e vende coco na praia. O filho, que a ajuda sempre que pode, virou um youtuber influente em temas LGBT.

maglore_2017

out of my heart, out of my head 

Aurélio era um crítico musical que fez sucesso quando lançou a biografia não autorizada de um artista conceituado no cenário. Depois de vários processos e condenações, ficou devendo todo o dinheiro do mundo. Sofreu perseguição e ameaça de morte por parte dos fãs do artista. A mulher de Aurélio foi embora junto com todas as posses e Aurélio se viu, determinada tarde de domingo, na redação de um jornal sensacionalista ganhando uns trocados pra pagar as contas.  A sorte voltou durante uma noite, depois de encerrar o plantão, em que jantava um delicioso pastel e presenciou o início de uma manifestação reprimida por policiais. Sacou o celular e fez várias fotos que uma hora depois estavam na home de todos os grandes portais da internet.

é muita yoga e bomba de polícia

Patrícia se apresentou pro seu turno de trabalho. As alunas já estavam todas preparadas no salão e iniciaram os movimentos. A sessão durou quase uma hora inteira. O namorado de Patrícia ligou avisando que se atrasaria pra buscá-la. Então, depois de conversar com as amigas, se despediu e ficou esperando. Já que estava sozinha no prédio, acendeu um cigarro de maconha, ligou a música no celular e foi organizar os aparelhos do ambiente. Nesse momento, Patrícia percebeu que seu reflexo no espelho começou a se movimentar independentemente do próprio movimento. Patrícia se assustou e correu rumo a porta que se fechou bruscamente antes de conseguir sair. Com muito medo, ela se escondeu no vestiário, atrás dos armários, quando viu um vulto se aproximando. Patrícia alcançou uma barra de ferro e quando o vulto se postou a centímetros dela, lançou o objeto que atravessou o fantasma e simplesmente caiu no chão. O namorado encontrou Patrícia desacordada no piso molhado do vestiário com o chuveiro ligado.

eu vou pra amsterdã

Marcos Donizete era campeão brasileiro de ciclismo. Foi contrato por uma grande equipe mundial pra correr em grandes competições. Durante uma Volta Internacional o líder da equipe foi acusado de doping. O diretor do time achou melhor afastar o campeão da disputa, mas a equipe continuou. Uma semana depois, quando o assunto tinha diminuído, Marcos saiu em uma fuga na etapa principal de montanha. Aos poucos seus adversários foram ficando pra trás. Marcos aguentava como podia a elevação e inclinação da subida. Até que visualizou a marca indicando 1 km para o final. Olhou para o público apoiando com bandeiras, e gritos de incentivo, e pescou no fundo da alma suas últimas forças. Estava a ponto de ganhar uma etapa mítica de uma das competições mais importantes do mundo e se tornar o maior ciclista do país, quando um homem invade a pista e empurra Marcos da bicicleta.

já bebeu tanto até não conseguir lembrar?

Madrugada de sábado pra domingo, voltei da balada muito cedo e cansado. Fui direto dormir. Acordei às 4h, com fome e vontade beber refrigerante. Desci até a loja de conveniência do posto de gasolina. Esse horário é a troca de turno e muitos caminhoneiros chegam e saem. É o dia que o motel ao lado mais fatura. Pedi o refrigerante, sentei em uma mesa vazia e fiquei assistindo o filme na TV. Chegou também um grupo vindo do futebol, todos paramentados e equipados com uniforme e bolas. Dois deles se desvencilharam dos celulares e encostaram na TV: – Olha, os Invencíveis! – Não cabeção. É Intocáveis!

a solidão é um clássico

Isabela é uma corretora de imóveis muito famosa por vender o tal apartamento do presidente. Rafaela é o pseudônimo de uma famosa cantora que está de mudança e procura um novo lar. Pessoas em comum cruzaram o caminho de uma com a outra. Desde o primeiro contato, surgiu uma forte atração entre elas. Eram olhares misturados a terminologias com duplo sentido, e até pequenos toques e encostadas, enquanto Isabela apresentava os cômodos dos apês que visitavam. Rafaela ligou para o marido e disse que tinha encontrado o lugar perfeito. Ao assinar o contrato com Isabela, propôs: -Tenho ainda umas horinhas pra pegar o avião, vamos trepar?

uma hora vai passar

O código que a gente usava em casa pra quando o amante da minha mãe aparecia era: “Já chegou o disco voador”. Até a vizinha sabia. Meus pais morreram cedo, eu herdei a casa e me casei. Certa vez, chegando do trabalho tarde da noite, a vizinha, já bem velhinha, me parou na frente do portão da casa dela e disse: – Vem cá, meu filho. Deixa eu te contar uma coisa. Não faça mau juízo dessa sua velha vizinha, mas se sua casa não for o escritório da NASA, abre o olho que é uma invasão alienígena.

maglore_azevedo_lobo_2017
Foto: Azevedo Lobo

movimento

Finalmente colocou a vida em ordem. Havia superado uma grave doença e conseguido sucesso na carreira. Não tinha mais dívida nenhuma. Morava em uma boa casa em um bom bairro de uma boa cidade. Era casada com um homem especial e era mãe de uma adorável e educada menina. A relação com sua família era a melhor possível e seus amigos e amigas estavam todos por perto. Foi quando o meteoro colidiu com a Terra.

um guarda-chuva novo

Cheguei cedo pra entrevistar e acompanhar a banda no show de lançamento de seu novo disco. Já havia uma grandiosa fila dando volta no teatro de um elegante bairro da cidade. As pessoas ignoravam a previsão de chuva e se diziam preparadas a enfrentar o que fosse pra ver ao vivo e de perto sua banda preferida. Dentro do teatro o clima era de ansiedade. Roadies posicionavam retornos, ajustavam altura dos microfones, desenroscavam cabos. A banda me recebeu no camarim para perguntas rápidas e fotos. Entraram pontualmente no horário marcado. O teatro veio abaixo. Os fãs cantavam todas as músicas do disco recém-lançado. Entoavam ainda mais forte os refrões dos sucessos que apareciam no repertório do show. Foram momentos de êxtase e perfeita sintonia entre a banda e seus fãs. As pessoas sorriam, choravam e saíram abraçados uns aos outros celebrando a inesquecível noite. No fim, enquanto as últimas pessoas deixavam a pista, desci do palco pra fotografar o ambiente e encontrei ali encostado um guarda-chuva amarelo esquecido por alguém. Lá fora realmente não chovia.

maglore_duane_carvalho_2017
Foto: Duane Carvalho

1 comentário em “Maglore – Todas as Bandeiras (2017)

  1. Ai meu Deus! Minha Nossa Senhora da Abadia! Que porra é essa? Rascunhos para redação / crônica / historinha encontradas no final do caderno daquele aluno “esquisito” metido a leitor/escritor da sétima série, turma “D”? Desisti de ler na historinha da yoga! Quanto a banda… ah, esquece! Mais um projetinho intelectualóide, pseudo Los Hermanos (argh!) na trilha sonora da Malhação. Não deu nem vontade de ouvir (quanto mais de prosseguir com a tortura, ops, leitura!).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: