2017 Pop Resenhas Rock

Noel Gallagher’s High Flying Birds – Who Built The Moon? (2017)

Noel mostra mais uma vez que é o irmão Gallagher mais talentoso

Por Lucas Scaliza

Embora Liam Gallagher tenha uma boa voz e carisma, mesmo com seu jeito marrentinho de inglês ex-classe operária que se pode dar ao luxo de tirar umas férias com a namorada em um castelo, Noel Gallagher é o irmão realmente talentoso. Enquanto Liam se esforça para fazer faixas boas, mas se mostra bem mediano em termos criativos em As You Were (sua estreia solo este ano), Noel vai mudando as coisas sempre que possível e sem perder aquela vibe vistosa, simples e redondinha que sua música tem desde a estreia pós-Oasis.

noel_gallagher_2

Who Built The Moon? é muito mais roqueirão que os anteriores, animado sem vergonha de ser feliz (“Holy Mountain”, “Black & White Sunshine”, “If Love Is The Law”), com sonzeira abafada que mistura uns toques de soul ao pop Gallagher e cria faixas bem instigantes (“The Man Who Built The Moon”, “Fort Knox”, “Keep On Reaching”). Pela primeira vez desde a participação dele em “We Got The Power”, no Gorillaz de Humanz, vemos Noel não sendo o Noel padrão, se permitindo enxergar mais longe, como no disco anterior com seu space jazz de “The Right Stuff”. Os interlúdios (“Wednesday”) estão ali justamente para isso: mais do que qualquer outra faixa, quase como trilhas sonoras, mostram que o irmão Gallagher também tem uma ótima sensibilidade fora da zona de conforto. As guitarras cheias de efeito e o baixo bastante encorpado ajudam a dar até uma cara de música quase eletrônica, como o New Order (“She Taught How To Fly”).

Apesar de fazer boas baladas, a melhor está no final: “Dead In The Water”, uma gravação ao vivo em um estúdio em Dublin incluída na versão deluxe. É o formato canção, que ele mostrou tantas vezes dominar, funcionando mais uma vez.

Noel traz novos elementos ao seu som, fazendo Who Built The Moon? soar pesado e grande em diversos momentos. Não é a toa que além dos quatro membros do High Flying Birds foram contratados mais de 20 músicos de estúdio para sons instrumentos diversos como sax, cellos, mellotron e principalmente backing vocals. No entanto, ele sabe que o que conquista o público ainda são elementos básicos que ele mesmo testou nos discos anteriores. Por mais guitarras que estejam nas canções do álbum, não há solos e nem fraseados à “Stand By Me” e “Champagne Supernova”. Não é um álbum de rockstar da guitarra, mas um trabalho de textura e boas vibrações.

Sabe o que é irônico nisso tudo? Que a banda High Flying Birds perdeu seu baterista e seu guitarrista, sendo substituídos por Chris Sharrock e Gem Archer, dois ex-membros do Oasis e do Beady Eye, ex-banda de Liam.

E caso o ouvinte não curta Oasis, Who Built The Moon? pode agradar justamente por não dever nada – e não reverenciar de modo algum – o que Noel fez anteriormente. Ele vem refinando seu estilo, testando algumas coisas sem muito alarde e conseguindo criar uma carreira solo em que até percebemos o que há do velho Gallagher nos novos sons, mas que de forma alguma quer parecer ou repetir o que já fez lá atrás. Sobra despreocupação e animação, como um bom disco de rock’n’roll.

noel_gallagher_1

Anúncios

0 comentário em “Noel Gallagher’s High Flying Birds – Who Built The Moon? (2017)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: